Pages

O certo que parece errado

imagem retirada da internet
O que pensar quando aparentemente tudo está errado?  Normalmente quando algo de errado ou ruim acontece na vida da gente, temos o péssimo hábito de reclamar. Reclamamos com Deus, pois afinal, nem sequer lembrou-se de nós. Reclamamos com os vizinhos, com o motorista da frente, com o carteiro, com o vigia, com o amiguinho do filho, enfim, tudo conspira contra nós e para nossa infelicidade.
Será mesmo que tudo está dando errado, ou nosso modo de enxergar a vida não está muito claro? Você já parou para pensar, em como aquela situação poderia ser diferente, para melhor ou mesmo para pior?
Muitas vezes, alguma coisa dá errado para que um erro muito maior seja evitado. Tenho como provar isso? Claro que não! Mas aí se encontra a confiança em Deus e nos seus propósitos para cada um de nós.
Hoje, como quase todos os dias, levantei cedinho, preparei o café da manhã, organizei as coisas para a minha filha se arrumar para a escola, mas, diferente dos outros dias, às quartas-feiras, minha filha não vai com a perua escolar, devido às mudanças de horários da escola, por isso, preciso da ajuda do meu marido que espera um pouco para sair de casa para trabalhar, pois dessa forma não preciso tirar a filha caçula de apenas dois anos da cama. Até aí, tudo dentro da mais perfeita ordem. Quando vou estacionar em frente à escola para minha filha descer do carro, um pedaço de guia fora do lugar, e pronto, bato a roda do carro e simplesmente rasga o pneu. Isso mesmo! Um pneu rasgado logo cedo. Em outras épocas, eu iria xingar, reclamar, esbravejar e culpar o mundo. O dia estaria acabado. Sobraria para minha filha, para os alunos que estavam passando, a vizinha da escola que apareceu para oferecer ajuda, e até para o senhor que gentilmente se ofereceu para trocar o pneu.
Mas hoje, graças a Deus, consegui manter-me tranquila, organizei meus pensamentos e resolvi agir da seguinte maneira: primeiramente, encaminhei minha filha à escola. Em seguida, liguei para o meu marido e pedi para que sua mãe viesse ficar com nossa pequena Júlia, para que ele pudesse ir trabalhar e, só então, fui cuidar do pneu. Logo, um senhor, vizinho da escola veio me ajudar (ajudar é modo de dizer, ele veio solucionar meu problema), um senhor que não tinha nada a ver com a situação, mas, que não pensou duas vezes em sujar suas mãos.
Quando voltava para casa, fiquei a refletir sobre tudo isso logo de manhã. Quais as verdadeiras razões para esses acontecimentos na vida da gente? Não é o fato de ter ocorrido logo cedo. Fatos assim acontecem o dia todo e muitas vezes nem notamos. Será que não poderia ter ocorrido algo mais grave no caminho, se eu não tivesse “perdido” aquela meia hora para trocar o pneu? Será que esse imprevisto não foi providencial para a minha segurança? Não temos como provar, apenas acredito que nada acontece por acaso e por isso, agradeci muito a Deus pelo cuidado. Não reclamei, nem mesmo de ter que gastar para consertar o pneu e resolver o problema. Talvez meu gasto pudesse ser ainda maior, ou mesmo um gasto que dinheiro pudesse não resolver.
Confie que algo muito além de nossas forças rege esse Universo e acredite sempre, que tudo acontece de acordo com Sua vontade, mas, que nossos pensamentos e intenções podem afetar os resultados, por isso, devemos vigiar e orar nossos atos, pensamentos e palavras. Deus não dorme em serviço, quem cochila, somos nós...

3 comentários:

José S. Pereira disse...

Oi Luciana,

É uma tendencia mesmo procurarmos agentes externos, classificar as coisas como "sinais" ou manifestações do além, para as eventualidades que nos tocam.

Coisa dos homens primitivos mesmo, que ainda não nos livramos em nosso interior. Tudo era desconhecido e assustador. Ficava difícil aceitar que "apenas tinha acontecido". Ou, pior ainda "vacilo meu".

Olha, tem gente que morre com 90 anos e ainda é assim. Estagnado na infância, as vezes com um pezinho na adolescência. Essas pessoas, são as que dizemos terem envelhecido. As outras, apenas amadureceram.

Ótima reflexão. Apesar de ter uma visão diferente da sua, dos motivos e autor do "acontece", também creio que devemos deixar algumas coisa assim. Confiar e tocar em frente. Afinal, acontece...

Beijos

Cecilia sfalsin disse...

Ei Lu,

Belíssimo texto , ou melhor belíssimo relato e testemunho. Minha amiga Deus tem um cuidado todo especial com a gente assim penso , faz aquilo que agrada nosso coração mas da forma dele, as vezes nem percebemos e por acontecimentos assim acabamos por reclamar, difamar, gritar, e não percebemos que é Deus que esta no controle e que por um minúsculo obstáculo ele nos deu um grande livramento... Amiga, eu aprendo muito com situações assim, e policio muito minhas palavras, meus atos e meus pensamentos,e concordo com suas palavras Deus não dorme em serviço, quem cochila somos nós..rsrs...

bjs

Valéria Braz disse...

Olá Luciana... adorei sua reflexão sobre as pequenas e/ou grandes surpresas de nosso dia a dia! Elas acontecerão, seja lá que motivo tenham. Mas cabe a nós escolher como nos posicionaremos nestes percalços... é daí que sairá a passividade ou a força!
Beijo no coração

Postar um comentário